Culto aos Ancestrais

Muitas culturas ao redor do mundo veneram seus ancestrais. Entre os nativos-americanos, a veneração dos ancestrais tem como objetivo garantir a harmonia, o bem-estar e conscientização positiva sobre a eternidade do Ser. A função social ou não-religiosa do culto aos ancestrais é cultivar valores e virtudes, tais como perdão, lealdade, família e continuidade. A veneração aos ancestrais ocorre em sociedades com graus de complexidade social, política e étnica diferentes, mas continua sendo um componente importante nas práticas xamânicas até os dias atuais. Todo aquele que nega sua tradição, nega sua ancestralidade.

Solstício Inverno. Ritual Xamânico com Ayahuasca.

Em várias culturas ancestrais, o Solstício de Inverno era celebrado para o renascimento e a renovação das esperanças, para novas promessas de vida e realizações. Os nativos norte americanos celebram a “Renovação da Terra”. Os Festivais Solares aconteciem em datas fixas, marcando pontos de transição entre os solstícios e os equinócios. As cerimônias sazonais não marcam apenas a jornada do Sol, mas também o ponto crítico das estações, dos ciclos agrícolas e da vibração planetária, refletindo em nossos sentimentos e ações. No inverno podemos olhar para o nosso interior e encontrar essa fonte de luz e de regeneração. A noite anterior ao Solstício do Inverno é a noite mais escura, simbolizando a gestação no ventre, antes do nascimento. A Direção Sul (Norte para o hemisfério Norte) é a direção associada ao inverno e ao totem do Búfalo Branco.